quarta-feira, 26 de abril de 2017

Mas eu fui, eu sei que fui. Fui suficiente, paciente e impaciente. Fui sorrindo e voltei chorando. Fui fogo e fui o próprio banho d'água fria. Fui sincero, fui honesto. Fui feliz e meu coração se partiu. Fui a minha própria caixa, onde guardei de tudo um pouco. Fui a minha muralha e também a minha ruína. Fui cantor e criei versos, causei tristeza. Embora não tenha sido suficiente, sei que fui, fui algo, fui porém e muito além. Fui além das expectativas, da compreensão, dei a cara a tapa e apanhei. No impulso me joguei e no final fraquejei. Mas eu fui… Eu sei que fui.
— Diego Castro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário